04/07/2017

22 JUNHO 2017 - O DIA EM QUE AS NOSSAS VIDAS MUDARAM

Na ultima consulta com a Dra. Paula Arteaga falámos dos prós e contras de prolongar a nossa gravidez por mais uns dias. "O bom é inimigo do optimo" dizia a Dra. e os valores do ácido úrico continuava a subir (fruto de um fígado massacrado por doses grandes de medicação dos tratamentos de fertilidade), uma tensão que teimava em subir (no consultório chegaria aos maravilhosos, not, 18/10) e um risco de pré-eclampsia que colocaria tudo em risco. Não era tempo de hesitações e naturalmente o dia 22 de Junho de 2017 foi colocado em cima da mesa como o dia em que tudo mudaria para nós: a chegada dos nossos Francisco & Pedro. O dia em que o sonho teria dois rostos para amar de uma forma até ali desconhecida por nós.
Saímos do gabinete com sensações diferentes: eu, ansiosa para que o momento chegasse rapidamente,  mas o João, o João estava num pânico dormente (aparentava calma mas eu lia nos olhos dele que não tinha pensado que aquele dia estaria tao proximo).
Era segunda feira e tinhamos até quinta para apaziguar corações, prepararmos o (pouco) que ainda faltava  fazer ou arrumar e esperar! Mais uma vez aquele verbo que sempre nos acompanhou desde o primeiro momento (ver CRÓNICAS DE UMA MÃE EM CONSTRUÇÃO).
As horas passaram sem que déssemos conta porém no dia 21 tive um "chilique" nervoso e chorei... chorei muito... chorei de forma descompensada e aflitiva. Creio que foi o meu corpo a limpar todas as emoções retidas ao longo dos últimos meses. 
Com a noite chegou a calma e coração apaziguou. Ultimas horas com a minha, já enorme, barriga..
Eram 6 da manha e esta seria a ultima refeição tomada. Eu na cozinha a preparar o meu café e ele a dormir mais um pedacinho (possivelmente seria a ultima noite "bem" dormida dos próximos meses) na nossa cama. Pequeno almoço tomado, malas prontas, higiene feita: Francisco & Pedro chegou a nossa hora!
A A5 foi generosa e não nos obrigou a grandes pára/arranca e o trajecto Parede/Hospital da luz fez-se sem grandes sobressaltos (ou nenhuns) mas com muitos suspiros de ansiedade partilhados.
Demos entrada no hospital, fizemos a admissão e agora era esperar... mais. De novo. Na sala de espera, misturadas entre pessoas que aguardavam que as chamassem para realizar exames, análises, CTG´s, existiam mais corações a bater descompassados e acelerados. Mais bebes estavam prontos para nascer e muitos futuros pais ansiosos por abraçar as suas crias.
"Sara Ferreira" e o meu nome soou pela sala. Era agora. Despedi-me momentaneamente do João, pois sabia que ele seria chamado mais tarde, para ir ter comigo. E lá fui eu para a sala de preparação/recobro, onde mudaria de roupa, onde me colocariam o cateter (quem diria que meses depois este gesto fosse quase banal para mim e não me provocasse suores frios) e onde aguardaria que me fossem levar para o bloco.
Uma coisa que me ajudou em todo este dia foi o facto de eu conhecer todos os passos que iríamos dar. Ao optarmos por fazer o curso de preparação para o parto no Hospital da Luz, ministrado por técnicos/medicos/enfermeiros desta unidade hospitalar, ficámos a conhecer todo o piso da ginecologia/obstetrícia (ou o principal pelo menos): o bloco de partos natural,  bloco de partos de cesarianas de emergencia, o bloco de partos de cesarianas programadas, o recobro, a sala de espera dos pais... tudo passou a ser menos assustador, menos frio e mais familiar e mais humano. As enfermeiras Rute e Sara (principais orientadoras deste curso) foram umas excelentes mentoras e naquele dia quando a porta se abriu e vi o rosto da Rute o meu sorriso rasgou-se. Tudo ia correr bem. Tinha de correr.
O João foi chamado e com ele vinha a mala com a primeira roupinha dos nossos meninos e os documentos da mãe (eu). Tudo o resto era acessório e não fazia falta naquela sala e naquele momento.
A porta voltou a abrir-se e desta vez era a Dra Paula para saber como me sentia e a anunciar que tudo estava preparado para que o parto tivesse inicio pelo meio dia. Não foi. Passou para o meio dia e meia. Despedi-me do João com um até já (confesso que durante algum tempo equacionei deixar uma carta escrita para uma "eventualidade" até que decidi que isso seria dar espaço a bichinhos na minha cabeça e eu "sabia" que ia correr tudo bem... a nossa senhora estava a proteger-nos e nada iria mudar isso) pois sabia que ele seria chamado para o bloco para acompanhar o nascimentos dos nossos bebes e lá fui eu pelo próprio pé até ao bloco pois, como a enfermeira disse "Ela está optima e bem disposta, nada de camas".
Entrámos no bloco, um local asséptico mas que em breve se iria inundar de amor. E este era, estupidamente talvez, o momento que mais me assustava de todo o parto: a epidural. A informação por vezes retira-nos alguma calma, e depois de ter conhecimento de alguns casos de menos sucesso, estes minutos que se seguiriam assustavam-me.
O Dr. Pedro Gomes (todo satisfeito por brevemente ter mais um ser com quem partilhar o seu nome), anestesista, rapidamente se encarregou de me provar o contrario. Com palavras amigas, assertivas, que me levaram ao riso mas acima de tudo sempre a informa-me com calma do que se iria passar e quase sem dar conta a agulha cortava-me a pele e o liquido milagroso corria no meu corpo. Quase sem dar conta uma ave maria e um padre nosso ecoavam dentro de mim. Em breve as minhas pernas ja não me obedeciam. O momento estava proximo. Duas equipas de neonatologia para receber os nossos meninos estavam prontas, a pediatra estava pronta, o anestesista estava mesmo ali ao lado sempre preocupado se me sentia nauseada (coisa que aconteceu duas ou três vezes mas que rapidamente foi corrigida), enfermeiras e a maravilhosa Dra Paula com a sua toca da Betty Boop. É curioso como o facto de ver aquela toca ali me dava uma calma e confiança extras e um toque de humor num momento tao especial para nós.
O João entrou e sentou-se ao meu lado. De mãos dadas... estávamos prontos! Eu ja não sentia nada do peito para baixo (mais ou menos) mas deste lado do pano não parava de sorrir. Tirávamos selfies e olhávamos um para o outro escondendo um nervosismo e ansiedade maiores do que nós.
Confesso-vos que tudo aconteceu muito rapidamente a partir deste momento, ou então tudo o que sentimos era demasiado avassalador para mantermos a noção de tempo como ele realmente existe. Quase sem dar conta ouvimos um choro que jamais esqueceremos: o Pedro fazia-se anunciar naquela sala asséptica. Agora tudo era amor. O nosso bebe mais velho, o que se colocou desde o inicio no local de saída como que a dizer "este lugar é meu e ninguém me tira daqui" fazia-se ouvir.Um minuto depois, ainda não refeita da emoção, já o Francisco mexia nas mãos da Dra Paula. A minha dupla estava completa. A nossa família estava completa. O nosso pequeno clã nascia ali... naquele momento.
Foram segundos até colocarem os meus homenzinhos nos braços. Era uma rainha entre os seus príncipes e o seu rei. Sem lagrimas (sempre imaginei este momento a desfazer-me em lagrimas) mas com o meu melhor sorriso. Era altura para sorrir. Nada nos iria separar. Quando os levaram, rezei de forma atabalhoada e agradeci. Demorarei todos os dias da minha vida a agradecer. E ainda assim serão poucos.
O nosso mundo mudaria naquele momento. Nunca mais seriamos apenas dois. O nosso amor havia-se multiplicado vezes sem conta e deixaria de caber nas palavras que escolhi escrever e nos nossos corações para tomar proporções inimagináveis.


Dia 22 de Junho de 2017 foi o dia em que as nossas vidas mudaram:

Pedro, 13 horas e 9 minutos , 45.5 centimetros, 2 quilos e setessentos gramas
Francisco, 13 horas e 10 minutos, 45 centimetros, 2 quilos e duzentos e vinte gramas



Nota - A toda a equipa do Hospital da Luz que nos acompanhou neste dia o nosso muitíssimo obrigada. Todas as palavras que possamos escolher serão poucas em significado para vos agradecer. Bem-hajam. Fazem todos parte da nossa historia de felicidade!













20 comentários:

  1. Que relato emocionante, Sara. Adorei lê-lo. Nota-se que vocês transpiram amor por todos os poros. Desejo que o pós-parto corra pelo melhor e que finalmente esses corações de pai e mãe consigam sossegar mais um pouquinho agora que os filhotes estão nos vossos braços... Agora sim, é real... Caraças (perdoa-me a expressão). Tanto anseio, tanto planeamento, tanto sofrimento... E agora sim, é real. Os vossos filhos tão desejados. Muitos parabéns, desejo-vos o melhor do mundo e que a vossa família seja imensamente feliz. Beijinhos grandes e desfrutem muito dos vossos amores <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola querida Joana, acho que a palavra é mesmo essa REALIDADE... o sonho concretizou-se e agora tudo é real. Beijinhos coloridos e obrigada por todo o carinho que sempre nos dedicou SSF+2

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Muito obrigada Célia... iremos fazer por isso certamente. Beijinhos coloridos SSF+2

      Eliminar
  3. Parabéns e as maiores felicidades para o Pedro e o Francisco e para os seus pais! Adorei tudo como se passou e as fotos, e os meninos a chegarem bem e a mãe com uma cara linda a sorrir! Estava a ler tão atenta com tanta emoção parecia que estava lá naquele momento. Histórias lindas para eles um dia saberem como foi o seu nascimento!!! Deus e Nossa Senhora os acompanhe sempre em toda a sua vida!!! FELICIDADES!!! BEIJOS PARA TODOS!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada prima... um mérito eles têm tido: de trazer à nossa vida membros da família e isso não tem preço. Muitos beijinhos coloridos e parabens pela princesinha que é linda <3

      Eliminar
  4. MUITOS PARABENS!! AS FOTOGRAFIAS SÃO ARREPIANTES DE BONITAS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho <3 há muitas mais mas por razões de privacidade dos gémeos e da equipa medica têm de ficar no âmbito familiar. Beijinhos coloridos SSF+2

      Eliminar
  5. E deste lado, posso chorar?! São só umas lágrimas de emoção!... 💕

    Pedro e Francisco, escolheram uns EXCELENTES pais (pelo que vou lendo...)!... 😉

    Felicidades!
    ❤❤❤❤

    E... bem haja Sara, pela partilha! 💕

    Beijitos aos 4

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ohhhh sempre querida connosco, com um carinho que muito estimamos. Beijinhos coloridos SSF+2

      Eliminar
  6. Muitos parabéns!!! Aos 4!
    É realmente uma experiência ÚNICA!!! SEIJAM MUITO FELIZES! BEIJOS Fi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho <3 beijinhos coloridos SSF+2

      Eliminar
  7. Sem palavras... Sejam muito felizes!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho <3 Beijinhos coloridos SSF+2

      Eliminar
  8. A Sara não chorou mas fez-me chorar a mim... Tão lindo! Fico muito feliz por vocês, toda a felicidade do mundo e muita saúde é o que vos desejo. Obrigada pela partilha, gostei muito. Beijinho do coração <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh Neide o que dizer das suas palavras queridas? Obrigada, de coração lhe agradeço todo o carinho. Beijinhos coloridos SSF+2

      Eliminar
  9. Que cresçam felizes e saudáveis...Parabéns e um beijinho aos pais

    Mariazinha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada Maria pelo carinho. Beijinhos coloridos SSF+2

      Eliminar
  10. Amiga,o melhor texto de sempre!
    Aproveitem a vossa dupla ao máximo.
    Beijinhos para os 4.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Titi Pipinha :) são palavras que creio a maioria das mães sentiu no momento do nascimentos dos seus bebes... não são diferentes mas são certamente as mais sentidas de sempre. Muitos beijinhos coloridos de nós os 4 para vocês os 4 :)

      Eliminar

design

design by: We Blog You