23/05/2014

ROGO-TE DEUS

Com todas as forças que me restam rogo-te para que não a leves... deixa-a ficar mais um bocadinho. Mais um dia. E se calhar outro. Os suficientes para ela ver a minha felicidade suprema consumar-se. Não a leves senhor, deixa-a ficar mais um bocadinho, só mais um bocadinho. Só mais um...
Não apagues esta linha que eu sei ser ténue mas que é minha, é nossa. Não a apagues. Só mais um bocadinho. Não me leves este pedacinho de infância que me faz sentir pequenina e protegida. Não me leves esta coisa de ser neta, de ter uma avó. Só tenho esta Deus, não a leves. Não agora. Não agora que estava quase...
Rogo-te Deus, deixa-a aqui só mais um bocadinho... o bastante para eu a abraçar mais, para eu lhe elogiar as unhas sempre cuidadas, para beijar o pó de arroz que sempre usou, para sentir o caminho que as rugas trilharam no seu rosto,.... não a leves. 

ROGO-TE!





10 comentários:

design

design by: We Blog You