13/02/2014

O DIA DE SÃO VALENTIM NÃO MORREU CONTIGO

Os dias são todos iguais e todos diferentes, Todos têm 24 horas mas o que fazemos com essas 24 horas só a nós diz respeito e é isso que torna todos os dias que aparentemente são iguais em algo diferente.  Dentro dos dias iguais há uns que se destacam, há uns que nos marcam de uma forma tão profunda que já não nos conseguimos lembrar de como eramos antes. Mas eu lembro.
Eu lembro-me do que me roubaste, eu lembro-me do que provocaste em mim, eu lembro-me do que me forçaste a dar, eu lembro-me de tudo o que me obrigaste a viver naquele dia 14 de Fevereiro de 2007.
Recordo-me de chegar ao escritório, de me sentar, ligar o computador e sentir que o meu telemóvel estava a vibrar. Olhei com aquele olhar displicente com que realizamos algumas tarefas repetitivas do nosso dia a dia. Era o vibrar da morte. Ela acabara de chegar à minha vida e ao meu telefone e não era por eu não ler aquela mensagem que ela se iria embora. Finalmente tiveras a coragem cobardia de puxar o gatilho.
Calculista e frio vestiste a roupa que eu te oferecera no passado, colocaste a minha foto sobre a almofada, colocaste o gorro que eu usara anos antes em NY (uma doce memória para mim), escreveste uma carta para o teu primo onde lhe deixaste varias ordens (uma delas incluía-me), bebeste, engoliste um numero incalculável de comprimidos, escreveste uma mensagem no telefone dirigida a mim (mas que deus já não quis que tivesses força para enviar) e… disparas-te.
Morreste.
Quase me mataste, quase me deixei levar por ti, pelas perguntas sem resposta que habitaram no meu cérebro durante meses, pelo desespero de não entender se fora eu que te dera o motivo para premires o gatilho, por voltar a ser feliz ao lado da minha família e do homem que escolhera (e que é a pessoa mais importante da minha vida). Quase me mataste. Quase me deixei ir por uma dor que não sabia existir, pela duvida que plantaste em mim. Foste mau, muito mau. Tu sabias que o suicídio era palavra proibida na minha família, que era a forma de morrer que eu não conseguiria aceitar (como se conseguisse alguma, burra). Tu sabias. E só hoje eu sei que tu sabias. Calculista sabias que aquele dia iria ficar marcado para sempre na minha vida. Que mesmo tendo escrito uma mensagem onde me dizias que ias partir (como se houvesse hipótese de voltares se te apetecesse) e onde abençoavas a minha união com o amor da minha vida, sabias que o dia de São Valentim terminaria ali para nós (eu e ele não tu). Levaste contigo o nosso passado e o meu futuro. O direito que eu tinha de escolher se queria ou não comemorar uma data a que nunca liguei. Fizeste-o de forma a que nunca mais me esquecesse (como se não soubesses que tenho uma memoria terrivelmente boa).  Mas sabes passaram sete anos. Sete anos onde passaram muitos comprimidos, muitas sessões com psicólogos e psiquiatras, muitas lagrimas, muito desespero, muita angustia, muitas perguntas, poucas respostas. Mas também passaram sete anos de alegrias, de uma luta interior que acabei por ganhar, de risos, de conquistas, de gargalhadas, de memórias boas, da confirmação de um amor maior. O maior amor da minha vida. O amor que me levou ao altar, que me fez jurar perante Deus, a família e os amigos mais queridos (não couberam todos infelizmente) que ficaríamos juntos até que a morte nos separasse… irónico a morte de novo. Mas esta morte é a morte natural, a que a vida tem guardada para nós e não a morte vingativa que tu usaste contra mim, contra a tua família, contra todos os que gostavam de ti e tu não viste.
Demorei sete anos a escrever isto… sete longos anos. E sabes? Hoje descobri que eu mereço comemorar o dia de amanha se EU quiser e não porque tu assim o decidiste. Podes até achar que serei egoísta…  mas eu e o meu amor maior precisamos de comemorar esta data. Está na hora de criar memórias boas e arrumar as dores na biblioteca da história da nossa vida. Está na hora de parar de chorar a morte e de sorrir ao amor.
Este ano eu e o meu amor maior teremos o nosso dia de São Valentim.








23 comentários:

  1. Linda, agora foi a mim que me caíram as lágrimas, tu não mereces isto, alguém que faz isto não ama ninguém e tudo gira em redor de si e ninguém tem o direito de TE fazer isto. TU mereces comemorares todos os dias com o teu amor verdadeiro e por isso mesmo tens os teus amigos reais e virtuais que te adoram.....beijos mega coloridos e que este dia de S.Valetim seja o primeiro de muitos que vais passar com o teu amor presente e futuros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que dizer? Já foi muito difícil insuportavel. Ninguém deveria ter remorsos em ser feliz e eu senti isso... primeiro de forma silenciosa e escondida em sorrisos. Hoje eu sou feliz porque tenho TANTA GENTE QUE AMO que não há como esconder isso, nem quero. Muitos beijinhos coloridos para ti e para a tua familia linda linda <3

      Eliminar
  2. Tenho coração apertado com o que li, mas fico feliz por finalmente colocares tudo no passado e seguires em frente!
    Um feliz dia, namora muito *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só de ler o teu nome sorri... de facto não podia ser mais perfeito porque na verdade DE SONHOS SE FAZ A VIDA. E até nos podem matar alguns sonhos mas não podemos deixar que nos levem a capacidade de sonhar. E essa está bem viva em mim. Obrigada pelo carinho <3

      Eliminar
  3. Aproveitar o presente está nas nossas mãos. O passado faz-nos fortes, quiçá mais calculistas, por forma a não consigarmos ir vivendo porque o passado ainda está presente...
    Ultrapassar esses momentos, assim, "deitando cá para fora", poderá ser das melhores terapias para que o futuro possa sorrir.
    Nenhum sonho é demais, nenhum.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem duvida... aprendi que apenas podemos curar o que verbalizamos. Este é sem duvida mais um passo para o caminho da felicidade <3

      Eliminar
  4. meu coração ficou apertadinho ao ler as tuas palavras e daqui para ai vai um mega abraço super apertado carregadinho de muito amor..alegria..sorrisos..amizade..e tudo e tudo de bom mereces cada vez mais coisas boas e muito amor
    um mega beijão de mim para ti <3 <3 <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Ritinha, pelo carinho, pelas palavras, pela amizade, por estares desse lado sempre atenta <3 Nos próximos dias não volto a escrever coisas tristes senão isto parece um blog de carpideiras :)

      Eliminar
    2. tens que escrever o que te vai na alma seja triste ou alegre estarei cá para ler :) para te dar mimos e amizade sempre beijooooooooooooooooo

      Eliminar
  5. De facto, acontece com cada episódio na nossa vida, que só passados anos somos capazes de os falar. Ainda bem, que já passou. Um beijinho, pela coragem, pelo alivio,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por vezes passamos tanto tempo a escolher as palavras, para não ferirmos ninguém, que vamos sufocando com elas sem dar conta. Mas lá diz o povo e cheio de razão... o tempo cura tudo :)

      Eliminar
  6. : ), de facto, há episódios que a vida nos dá a viver, para os quais são precisos anos para conseguirmos falar deles, ainda bem que esse momento já chegou. um beijinho de parabéns pela coragem, pelo alívio que deve ter sentido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho e pelas palavras tão bonitas <3

      Eliminar
  7. A vida por vezes consegue ser muito dura...Admiro imenso a tua coragem S., de falar/escrever o que te vai na alma. Ajuda e consegue ser libertador... e é isso mesmo... não podemos mudar o que já foi, mas podemos e devemos arranjar todas as forças para seguir em frente. Acho que é o caminho certo! Um grande beijinho e gosto de ver/conhecer pessoas com tanta Força! É nas dificuldades que mais aprendemos e evoluímos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A vida por vezes empurra-nos para sítios buracos muitos escuros, onde a única saída é mesmo olhar para cima e lutar. Quanto temos pessoas que gostam de nós e que olham lá para baixo à nossa procura e que até estendem os seus braços para nos ajudarem a subir... então esse é o caminho. Dói muito perceber que temos o direito de ser felizes, não termos remorsos dos sorrisos sinceros mas ninguém deverá ser condenado por ser feliz. E eu sou feliz <3

      Eliminar
  8. è preciso muita coragem para dizer em voz alta : eu mereço ser feliz.E ainda mais coragem para o ser.Que sejas muito, muito feliz, dia 13, dia 15, e porque não, dia 14 de Fevereiro. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras e pelo carinho. De facto não é o dia 14 que está em causa é o ter o direito de poder sim ou não a ser feliz sem remorsos ou sem constrangimentos. Beijinhos coloridos

      Eliminar
  9. Minha querida, fiquei muito tocada com o teu texto. O meu coração viu a marca no teu e apesar de não saber de nada, creio que ambas (tu me corrigirás caso esteja errada) nos ligámos de uma forma que nunca pensámos. Sem nunca comentarmos, sentimos uma grande afinidade entre nós. É assim....as pessoas que superam grandes dores conseguem inconscientemente identificar-se. Beijos enormes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sofia não só nao corrijo como reforço as tuas palavras :) o carinho que sinto por ti e pelos homens da tua vida é enorme, e a vossa amizade é preciosa. E tens toda a razão quando mesmo sem palavras os nossos corações detectaram afinidades e deram a benção a esta nossa amizade. Muitos beijinhos para voces <3

      Eliminar
  10. Este é um texto de coragem. Nem sequer consigo imaginar pelo que passou, mas é uma mulher de coragem.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A coragem vem de todas as pessoas que me devolvem o sorriso quando sorrio para elas. Vem de todas as pessoas que estão desse lado e que mesmo sem me "conhecer" entendem a dimensão destas palavras. O tempo ajuda mas não apaga, contudo é preciso organizar afectos, arquivar emoções e viver o bom que a vida nos dá. Beijinhos coloridos

      Eliminar

design

design by: We Blog You